03 ● 11 ● 2016

A arte de querer abraçar o mundo e não conseguir abraçar nem um grão de areia

Abraçar o Mundo

(Na falta de imagens melhores para ilustrar este texto, segue imagem do aeroporto de Los Angeles, da minha última viagem a trabalho – o que, de certa forma, tem bastante a ver com o tema abaixo)

 

Sempre admirei pessoas com gana de vida. Sabe, esse tipo de gente cujo os sonhos não cabem em uma folha de papel – melhor ainda se elas realmente fazem alguma coisa para alcançá-los e servem de inspiração para o resto de nós, procrastinadores de plantão. Eu sou uma procrastinadora. Das boas. Admito, mas juro que estou empenhada em encontrar formas de resolver este problema. E isso não quer dizer que eu não tenha objetivos! Apesar de ser uma procrastinadora, eu me considero também uma pessoa cheia de gana de vida e sonhos.

Muitos. O que eu não achava ser um problema – mas descobri que pode ser, sim.

Eu me formei em jornalismo ano passado. Saí da faculdade com efetivação em meu estágio produzindo conteúdo para web. Não muito tempo depois, comecei a trabalhar exclusivamente com Marketing de Conteúdo, posteriormente com Marketing Digital e, mais posteriormente ainda, comandando a equipe de comunicação da empresa.A experiência na carreira, até agora, tem sido de longe a melhor coisa que me aconteceu em 2016. Crescimento profissional e pessoal, viagens a trabalho, a possibilidade de aprender muito – muito mesmo.

E isso, claro, enfatizou em mim o desejo de querer saber mais, aprender mais. Ser mais capacitada.

Mas, como você já deve ter percebido a essa altura, tem apenas um problema: eu não sou exatamente o tipo de jornalista que se dá bem apenas escrevendo e fim. Há algumas habilidades que hoje eu tenho como “hobbie”, e que mesmo básicas já me ajudam no profissional mas que eu realmente gostaria de desenvolver.

E são tantas áreas!

Eu quero finalizar o meu curso de Produção de Conteúdo (do querido Henrique Carvalho, do Viver de Blog). Quero me especializar muito mais em Marketing Digital. Quero ser expert em mídias sociais e dominar as ferramentas majestosas que o Google oferece para nós, comunicadores. Quero falar inglês fluente, espanhol fluente, começar a aprender um francês. Fotografia. Tratamento de imagem. Edição de vídeo. Design Gráfico.

Tudo isso para ontem.

Como eu disse, a experiência em meu emprego atual tem ajudado muito – estou tendo a possibilidade de estudar mais do que não estudei em quatro anos de faculdade. E eu realmente quero agarrar isso. Mas isso, é claro, não acaba por aqui! Porque além do profissional, eu também quero começar a meditar, fazer academia, começar uma aula de dança, teatro, arco e flecha.

E juntar dinheiro para viajar.
E começar um trabalho freelancer.
E manter o blog na qual você lê este texto neste exato momento.

Mas eu sou uma procrastinadora, e uma das empolgadas. Arregaço as mangas, faço a programação completa da minha semana tentando dar conta de tudo. Mas é claro que eu não dou.

abracar-o-mundo

Querer abraçar o mundo todo assim, de uma vez, pode ser muito frustrante e desanimador. Te fazer se sentir incapaz. Querer que todos os seus objetivos de vida sejam concretizados em um mês, por mais que você seja a pessoa mais dedicada do mundo, pode ser uma mega auto sabotagem.

Você tenta demais, planeja demais, não consegue focar efetivamente em nada e, ao invés de abraçar o mundo, não consegue dar conta de nem um grão de areia. Quando você olha sua lista de tarefas, no fim do dia, percebe que não conseguiu concluir metade do que gostaria. E os que concluiu, não fez completo, porque estava o tempo todo pensando na próxima coisa que deveria fazer.

Percebi que preciso dar um passo para trás para poder dar dois adiante. Parar de querer abraçar o mundo inteiro de uma vez – e começar, sim, a abraçar uma coisa por vez até conseguir conquistar tudo aos poucos.

Vou dar uma pausa com este blog que nos encontramos. Eu já fiz isso, na verdade, o blog está há semanas desatualizado. Eu só não admitia para mim mesma para parecer que eu conseguiria. Sempre dizia “semana que vem eu vou postar!”. Então é melhor tornar a coisa oficial e parar de colocar todo o pensamento e preocupação em algo da qual eu não estou conseguindo abraçar agora.

A boa notícia? Quando eu voltar, provavelmente vou ter muito a compartilhar aqui por causa dos cursos e experiências novas. A má notícia? Vou sentir saudades.

Mas sigo firme, abraçando um bloquinho de areia por vez, aos poucos conquistando meu espacinho. Lutando sempre contra a procrastinação, e fomentando essa gana de vida que realmente me faz brilhar os olhos.

OBS: Obrigada a todos que seguiram acompanhando o blog nesse tempo conturbado! Se quiserem saber as novidades paralelas e quando irei voltar, assinem a newsletter do Blog (é só clicar no início do Blog, em “receba conteúdos em primeira mão”). A gente bate um papo por lá, combinado?

postado porvanessa dias
12 ● 10 ● 2016

Playlist: as aberturas de anime mais nostálgicas do mundo

Eu já perdi a conta de quantas vezes vi meu pai urrar de emoção ao som da abertura de Ultraseven. Para ele, este era o melhor programa infantil do planeta, e nada do que eu assistisse na minha infância chegaria aos pés do que ele assistira na dele. “Não se fazem mais desenhos e sagas como antigamente”, ele dizia.

Agora, mais velha, consigo entender o que ele sente. Mesmo me considerando uma pessoa que gosta de desenhos, incluindo os atuais, não há Ben 10 ou Regular Show que supere os meus Cavaleiros do Zodíaco,Laboratório de Dexter e Pequeno Urso. E tudo bem! São coisas que marcaram positivamente nossa época de criança, e deve ser lembrada como a melhor do mundo, mesmo. O Ultraseven para o meu pai, o Dragon Ball Z para mim, e os futuros desenhos para meus futuros filhos e netos.

Playlist Aberturas de Anime

Para comemorar este 12 de outubro, Dia da Criança, montei essa playlist com as aberturas dos animes mais nostálgicos do mundo – passando um pouco pela Rede Manchete, Toonami (Cartoon Network) e os bons animes da TV Globinho. Acorda sua criança dos anos 90 e vem relembrar comigo!

Coloquei as aberturas por ordem de nostalgia para mim, então é possível que alguns animes se repitam e que algumas aberturas sejam mais recentes que outras.

Se sentindo nostálgico? Então compartilhe esta playlist com os seus amigos para que eles se sintam assim, também! Até o próximo post.

postado porvanessa dias